Como as pesquisas em relação às construções e suas novas possibilidades não param, o futuro é promissor, tanto para o uso do concreto em si quanto para construções em geral. E uma das maiores descobertas desses estudos é o assunto do nosso texto de hoje. Você sabia que as estruturas de concreto poderão, em um futuro próximo, armazenar energia?

É o que afirma, baseado em suas pesquisas, o professor Mohamed Saafi, responsável por um estudo conduzido na Universidade Lancaster, no Reino Unido, chamado de “Composto cimentício geopolimérico multifuncional inerentemente para armazenamento de energia elétrica e material estrutural auto-sensitivo”. O projeto é resultado de uma parceria entre os estudiosos ingleses e pesquisadores da Universidade Tecnológica de Sydney, na Austrália.

Você pode conferir o artigo original que a pesquisa rendeu, em inglês, aqui. Ele foi publicado em outubro de 2018, sob o nome “Inherently multifunctional geopolymeric cementitious composite as electrical energy storage and self-sensing structural material”.

No material que a Tecnomor preparou para você hoje, nós iremos te explicar, com base nos resultados dos estudos, como estruturas de concreto terão a capacidade de armazenar energia elétrica, a qual poderá ser utilizada para alimentar a própria obra. Além disso, falaremos também sobre outra vantagem que elas terão no futuro. Continue a leitura abaixo e entenda!

 

Como funciona o armazenamento de energia das estruturas de concreto

A explicação que o artigo descreve é relativamente simples e bem clara. Ela mostra como compostos à base de íons de potássio – chamados de KGP – os quais estão sendo desenvolvidos na pesquisa, iniciam reações químicas quando adicionados à mistura com o cimento Portland para a elaboração do concreto.

Essas reações geram estruturas inteligentes de concreto com capacitores para armazenamento elétrico. Cada m² será capaz de conter uma potência de até 330 watts de energia. Segundo o professor responsável, algumas das possibilidades para a energia armazenada são a alimentação da iluminação pública e semáforos.

 

As estruturas de concreto também poderão emitir alertas

Mais uma vantagem que Mohamed Saafi cita no seu relatório é a possibilidade de identificar patologias em estruturas com maior facilidade, aperfeiçoando o processo de Structural Health Monitoring (SHM). Enquanto, hoje, esse monitoramento de saúde estrutural é feito visualmente, no futuro ele poderá ser mais preciso com o auxílio do próprio concreto.

De acordo com Saafi, o novo material criado por ele e pelos outros envolvidos no projeto poderá emitir alertas imediatos quando algum defeito for detectado, dispensando o uso de sensores. Isso inclui rachaduras, trincas e fissuras que podem afetar diretamente a saúde do concreto e, consequentemente, da construção.

 

Diferentes pesquisas ao redor do mundo continuam nos mostrando como o concreto é um material com enorme capacidade de evolução, sempre no caminho da sustentabilidade e da eficiência. Gostou de ler sobre mais uma novidade? Continue acompanhando e descobrindo ainda mais! Siga a Tecnomor no Facebook e no Instagram!