Hoje, os desafios do mercado da construção civil vão além da aplicação de tecnologias como as incluídas na Construção 4.0. Deve-se sim buscar sempre a otimização de todos os processos, porém no objetivo de um resultado completamente satisfatório, é preciso pensar também no design. O concreto pigmentado surge como uma opção viável neste caso.

Vindo para substituir o uso de revestimentos, como as tintas e as pastilhas, o concreto pigmentado nada mais é que a mistura do cimento convencional com a adição do pigmento desejado, o qual normalmente é composto de óxidos. Suas possibilidades de cores e tons variáveis são atrativos que agradam quem trabalha com o material.

Neste texto de hoje que a Tecnomor preparou para você, nós apresentaremos mais informações sobre o concreto pigmentado, explicaremos como ele funciona, citaremos suas vantagens e traremos alguns dos principais exemplos de obras que o utilizam ao redor do mundo. Saiba mais!

 

Como ele funciona

Teoricamente, o pigmento, qualquer que seja, não interfere nas características do concreto. No entanto, ele deve ser aplicado seguindo as recomendações do fabricante. A medida de pigmento a ser adicionada varia de acordo com a intensidade de cor que se deseja obter. Os números vão de 2% a 5% sobre o peso total do cimento, sendo que a dosagem deve ser feita de maneira precisa.

 

Principais vantagens

Mesmo que o uso de concreto pigmentado no Brasil ainda seja tímido, muito relacionado ao custo do produto, a enorme lista de vantagens que ele oferece compensa. Confira algumas delas abaixo:

  • diversas opções de cores;
  • resistente contra poluição e ações climáticas;
  • oferece uma beleza mais natural;
  • os óxidos garantem durabilidade da cor;
  • reduz e, alguns casos, até dispensa manutenção;
  • substitui os revestimentos;
  • o concreto não perde nenhuma propriedade.

 

Uso do concreto pigmentado em obras: exemplos

As aplicações deste tipo de concreto são as mais variadas, e ele pode ser encontrado em praticamente todos os lugares e construções. Ele pode estar em pré-moldados, blocos, pisos e telhas de cimento.

Ainda que não esteja presente em tantas obras brasileiras, o concreto pigmentado já é comum nos Estados Unidos e na Europa, podendo ser encontrado em grandes estruturas, incluindo pontes, edifícios e calçadas.

Veja abaixo alguns exemplos:

 

 

FNB Stadium – Joanesburgo, África do Sul

Construído em 1986 e inaugurado em 1989, o FNB é o maior estádio do seu país. Ficou internacionalmente famoso durante a Copa do Mundo FIFA de 2010, já que abrigou, entre outros jogos, a partida de abertura e a grande final do torneio.

Sua icônica fachada, feita com painéis de concreto pigmentado, foi incluída na reforma pela qual o estádio passou em 2009 para receber a Copa. A construção foi desenhada com inspiração da cerâmica tradicional africana.

 

concreto pigmentado fnb

imagem: Bam International

 

 

Casa das Histórias Paula Rego – Cascais, Portugal

A Casa das Histórias Paula Rego, inaugurada em 2009 e vencedora do Prémio Secil de Arquitetura em 2010, é um museu de arte, dedicado à vida e obra da artista Paula Rego.

Com o uso de aspectos históricos da arquitetura regional de Cascais reinterpretados em uma linguagem contemporânea, a construção é conhecida por suas duas torres vermelhas em formato de pirâmide.

 

concreto pigmentado museu

imagem: Cascais Jovem

 

 

Cais do Sertão Luiz Gonzaga – Pernambuco, Brasil

Por último, trouxemos um dos poucos exemplos brasileiros. Dedicado à trajetória do maior nome do baião, o Cais do Sertão Luiz Gonzaga é mais um item da lista que se trata de um museu.

Fazendo parte do projeto Porto Novo e intensificando a cultura local, o museu é construído em concreto pigmentado amarelo moldado in loco, que busca “representar o arenito do Piauí”, segundo Marcelo Ferraz, um dos arquitetos responsáveis pelo projeto.

 

concreto pigmentado museu cais

imagem: folhape.com.br

 

Por mais que o concreto pigmentado ainda tenha um longo caminho a percorrer em terras brasileiras, é inegável que ele será cada vez mais implementado em diferentes tipos de obras.
Gostou do texto de hoje? Para saber ainda mais, acompanhe nossas redes sociais! Você pode encontrar a Tecnomor no Facebook e no Instagram!